Lamentavelmente poucos são os profissionais de saúde que trabalham na prevenção. Infelizmente é “necessário” adoecermos para podermos avaliar a nossa saúde ou direi doença!

Sabia que a maioria das doenças, tais como hipertensão arterial, aterosclerose, diabetes, obesidade, doenças neurológicas, algumas doenças autoimunes e até mesmo o cancro poderiam ser evitáveis se ajustasse o seu estilo de vida de forma personalizada?

É claro que não é uma certeza a 100%, mas eu pergunto, o que é que é 100% certo’

Não estou com isto a afirmar que há algum milagre que se consiga fazer em gabinete, mas posso afirmar que segundo algumas centenas de estudos que evidenciam que o comportamento de vida promove a aceleração ou surgimento de patologias como as mencionadas em cima, então serão os comportamentos de vida alterados que irão evitar o surgimento delas. 

Parece-me lógico, de qualquer forma, e generalizando sabemos por exemplo que o consumo de produtos de charcutaria levam ao consumo de compostos cancerígenos, logo se não os ingerirmos não iremos os consumir logo diminuímos a probabilidade de desenvolver a patologia. Mas, e quando falamos de hereditariedade?

Há ferramentas hoje ao nosso dispor que nos podem indicar quais as predisposições genéticas de um individuo desenvolver determinada patologia. 

Com isto quero dizer que, tendo o seu estudo genético terá o conhecimento do que pode-se revelar e quais as estratégias a adotar para as evitar.

Quais as modificações que estamos a falar?

  • a alimentação
  • exposição a contaminantes, poluentes ou agrotóxicos
  • o exercício físico ou sedentarismo
  • o descanso ou a falta do mesmo
  • hábitos errados como o tabagismo, drogas ou alcool.

Falamos então de Epigenética.

Confundindo e concluindo, a genética que nos caracteriza, a partir do momento que a conhecemos, pode ser modelada através dos nossos comportamentos.

A partir do momento que conhecemos as pré disposições genéticas conseguimos atuar na prevenção e no tratamento de forma mais eficaz, trabalhando não só na mudança de comportamentos mas acima de tudo conseguimos trabalhar na nossa base, no terreno.

Conto-lhe a minha história. Tenho vindo nos últimos 7 anos a ter hábitos de vida mais saudáveis que nunca, no entanto, tomei conhecimento que tenho pré disposição genética para o cancro do colon entre outras situações.

É claro que se instalou o pânico, momentaneamente, mas olhando para a minha vida nos últimos 41 anos percebo que a obstipação severa de que sofri ao longo de mais de 27 anos, juntando com a remoção de pólipos aos 38 anos são apenas sinais que a genética está a manifestar-se nesse sentido.

Sabemos que, os pólipos podem ser benignos ou malignos, mas só saberia a sua existência e o seu tipo com o exame colonoscopia. Qual seria a probabilidade de os pólipos benignos degenerarem em malignos em mais de 12 anos que me restavam até fazer a colonoscopia de rastreio (50 anos)? Já pensou nisso?

Caso só tivesse realizado esse exame/rastreio aos 50 anos, a probabilidade dos pólipos degenerarem era enorme e eventualmente ou seria-me diagnosticado cancro do colon ou certamente a saúde do meu intestino iria-se ressentir. Talvez não se tenha ressentido nos últimos 7 anos por tanto ter modificado no meu estilo de vida.

No entanto, não contente com a pré disposição que me foi ditada pelo teste genético, nem tão pouco satisfeita com a remoção de pólipos aos 38 anos e aos 40 anos ter retirado novamente mais pólipos, pela 2ª colonoscopia que realizei, adaptei ainda mais os meus comportamentos que podem ajudar a modelar esta pré disposição genética. Assim, aumentei a quantidade de determinadas fibras, aumentei o consumo de alimentos do reino vegetal, aumentei o consumo de água, faço probióticos específicos entre outros comportamentos que encontro serem fundamentais para prevenir esta patologia que “está escrita nos genes”.

Por vezes as pessoas receiam fazer este tipo de testes por não saberem lidar com a informação, no entanto posso-vos dizer que é a melhor ferramenta que temos a médio e longo prazo de forma a traçar um programa personalizado para prevenir patologias e desequilíbrios orgânicos.

Estes testes genéticos são realizados pelo Laboratório Fulldna e terão que ser sempre prescritos por um profissional de saúde que saiba interpretar e auxiliar o paciente a traçar o plano de ação.

No meu gabinete temos à sua disposição mais de 30 painéis genéticos que podemos avaliar nas mais variadas patologias.

Aposte na sua saúde, previna-se e não se esqueça você é único/a.

Deixe um comentário

Fechar MENU