Não acredito minimamente nisso, uma vez que a genética é realmente algo que nos é passado pelos nossos pais e estes receberam igualmente dos seus pais e por aí. A questão é que a genética realmente diz a nossa pré disposição para uma determinada situação, mas, felizmente, há a epigenética.

A epigenética são as mudanças no nosso comportamento que visa essencialmente a prevenção do que a genética nos “destina”.

Vou partilhar o meu caso. Fiz recentemente o teste genético nutricional e de fitness. Fiz porque queria conhecer melhor como é que o meu corpo se comporta bem como saber, pelos genes que hoje já se conhecem, o que está pré disposto acontecer.

Enquanto ouvia as palavras do profissional apercebi-me que sou uma bomba relógio mas, no lugar de começar a stressar e a achar que os meus dias de saúde e de bem estar estariam a terminar, arregacei as mangas e comecei a corrigir no imediato os meus comportamentos.

Segundo a minha genética, tenho uma enorme tendência para problemas cardiovasculares, cancro do colon e cancro da mama, obesidade entre muitas outras situações que me foram reveladas.

Quais foram as minhas atitudes para contornar a expressão genética:

  • Cardiovascular
    • Exercício físico pelo menos 5x/semana (intercalado treino de força com treino cardiovascular);
    • Aumentar o aporte de nutrientes específicos, tais como polifenóis, resveratrol, coQ10….;
    • Ingestão de água regrada pelo menos 1,7l por dia;
    • Alimentação de base vegetal (já o pratico);
  • Cancro
    • Alimentação de base vegetal (já o pratico);
    • Aumento do aporte de fibra alimentar;
    • Ingestão de água, pelo menos 1,7l por dia;
    • Exercício físico moderado a intenso;
    • Suplementação estimuladora do sistema imunitário, boost mitocondrial, glutationa, probióticos, selénio, zinco, vitamina D, …;
    • Meditar e exercícios respiratórios diários;
    • Higiene de sono;
    • Resolução de traumas e emoções passadas » sessões de hipnoterapia;
    • Palpação mamária;
    • Ecografia mamária, colonoscopia.

Com isto, não significa que não terei as doenças verificadas geneticamente, mas, sei que a probabilidade de acontecer diminui significativamente, bem como a idade delas eventualmente surgirem será mais tarde do que se eu nada fizesse.

Posto isto entendo que o teste genético é uma mais valia para conhecermos melhor o que está escrito nos nossos genes e perante isso tomar a consciência e criar Mudanças significativas, pois estas vão fazer Toda a diferença.

Não espere por uma crise para descobrir o que é importante na sua vida.

Platão

Felizmente integrei na minha consulta esta ferramenta. Ajuda-me a criar uma proposta alimentar muito mais personalizada com vista a ir ao encontro da prevenção bem como respeitar o que o organismo precisa mais e precisa menos, por ter mais ou menos capacidade de metabolizar os nutrientes.

O teste avalia:

  • O corpo
    • Adiposidade central
    • Resistência à insulina
    • Colesterol LDL elevado
    • Triglicéridos elevados
    • Esteatose hepática não alcoólica
    • Gestão de peso
      • Dificuldade na perda de peso
      • Recuperação de peso perdido
      • Dificuldade no controlo de apetite
  • A alimentação
    • Intolerância ao glúten e lactose
    • IMC elevado
    • Hidratos de carbono complexos
    • Fibra
    • Gorduras polinsaturadas
    • Gorduras monoinsaturadas
    • Proteínas
    • Vitaminas
    • Restrição calórica
    • Gorduras totais
    • Sal
    • Cafeína
  • O comportamento
    • Adoção de estratégias de saciedade
    • Sono regular
    • Prática de exercício físico

Deixe um comentário

Fechar MENU